A violência sexual ocorre desde a antiguidade, em todas as partes do mundo e em diversas classes sociais. Existem vários tipos de violência e ou abuso sexual praticada, no qual o agressor pode eleger como vitima: uma criança, adolescente, adulto ou até idoso, podendo ser uma prática hétero, homo ou bissexual. O perfil do agressor depende dos seus impulsos e desejos sexuais, podendo ser: abusadores que se caracterizam principalmente por atitudes mais sutis e discretas no abuso sexual,geralmente se utilizando de caricias, visto que em muitas situações a vítima não se vê violentada. Já os molestadores são mais invasivos, menos discretos e geralmente consumam o ato sexual contra a vítima.

A violência sexual pode ser evidenciada sob várias formas e apresenta maneiras diferenciadas de expressão,tais como: estupro, incesto, atentado violento ao pudor, de acordo com a conceituação jurídica; abusosexual e exploração sexual comercial (prostituição), conforme conceituados pela sociologia e antropologia. Os agressores podem ser pessoas desconhecidas, e muitas vezes pessoas próximos e parentes como pais, tios, entre outros.

A vítima pode sentir seu corpo como profano, perdendo a integridade física, sensações novas podem ser despertadas, mas não integradas. A vítima expressa à angústia de que algo se quebrou no seu interior,perturbações do sono são constantes e traduzem a angústia de baixar a guarda e ser agredido sem defesa novamente, levando assim mudar sua rotina e desinteressando se pela vida, fecha-se em si mesmo, torna-se às vezes lenta ou inquieta. Pode manifestar sinais de violência, mostrando-se muito irritada e pouco tolerante quando o elogiam.Baixa auto-estima, uma vez que se evidenciam sentimentos de menos valia por se perceber diferenciada e escolhida para a prática de abusos sexuais.Comportamentos autodestrutivos podendo até, dependendo da organização psicológica e da estruturação da personalidade, tentar e cometer suicídio.Sexualidade vista como punitiva, com culpabilidade, sem prazer, podendo interferir de forma traumática no jogo da sedução, erotização, oferecendo possível dificuldade de relacionamentos sexuais.Em alguns casos é comum que ocorra depressão, angústia e sentimento de inferioridade.

As conseqüências do abuso sexual do ponto de vista físico, da saúde também são muito sérias, principalmente levando-se em conta as doenças sexualmente transmissíveis, principalmente a AIDS, isto sem falarmos nos casos em que a vítima sofre lesões graves causadas pelo abusador, além dos casos de gravidez decorrente destes atos. As conseqüências físicas, psicológicas, sociais,etc., são inúmeras.Investir em estratégias de tratamento de sequelas emocionais do abuso sexual poderá se revelar numa importante fonte de prevenção de danos da vitimas bem como das gerações futuras. As experiências difíceis não podem ser totalmente esquecidas, mas devem ser transformadas e elaboradas, a fim de minimizar os sentimentos negativos e destrutivos que se manifestam na vítima e muitas vezes na família desta. E inevitável afirmar que o “corpo” da vítima toma novas formas, com cicatrizes na alma, mas importante cuidar dessas marcas para que esse corpo continue existindo. E assim a VIOLÊNCIA abre espaço para o CUIDADO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *